#09 DEVOCIONAL - VIGILÂNCIA NO REINO DE DEUS


"Ele, porém, foi ao deserto, caminho de um dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais."
1 Reis 19:4

A história de Elias é narrada um pouco rapidamente nas Escrituras, nos primeiros registros em (1 Reis 17) surge no cenário Bíblico um grande profeta, natural de Tisbe, situada em Gileade, do outro lado do rio Jordão, esse lugar não aparece em outras passagens Bíblicas, apenas é citado no contexto de sua jornada. Elias se tornou maior que o meio em que vivia, na verdade, não foi Tisbe que deu o nome a Elias, mas foi Elias que colocou Tisbe no mapa, durante a leitura, procurei encontrar esta cidade chamada Tisbe e não encontrei nada relacionado a ela, a não ser o profeta, compreendi que não precisamos perguntar de onde os homens são, mas sim o que eles realmente são, se for coisa boa, não importa de onde venha. (João 1:46)

Elias era um homem poderoso, quando montamos sua imagem acompanhando a leitura, podemos perceber que ele não era um homem comum, mesmo isso parecendo um pouco contraditório (Tg 5:17) e a indagação que eu faço é; Como um homem neste nível, um profeta que ordenou aos céus que não caísse uma gota d'água, que foi alimentado por corvos em uma caverna, que fez com que a vasilha de farinha e a jarra de azeite de uma viúva não tivesse fim, capaz de trazer a vida a um menino morto, vencer a batalha contra os profetas de baal e com sua oração fazer cair fogo do céu, como um homem nessa magnitude chega a pedir a morte?

Em um dos seus primeiros milagres, onde fechou as portas do céu para que não chovesse, com a chave da fé que serve em qualquer fechadura, trancou suas comportas, pois a chave no bolso e fez Acabe estremecer, mostrando grande exercício de sua fé, e grande autoridade sobre a natureza, podemos perceber que ai está a grande artimanha do inimigo, exatamente no momento em que somos usados por Deus, é como se ele fizesse uma anotação em sua agenda, marcando hora e data para sua investida, para o seu ataque, pois no momento em que Deus abre as janelas dos céus mostrando poder e gloria, o inimigo abre as portas do inferno para nos intimidar, e não foi diferente com Elias, em uma fuga ao deserto pelo juramento de morte dado por Jezabel (Jn 1:3) se esquece de sua dependência em Deus, já não era mais tão corajoso como antes, é como que uma atmosfera maligna começasse a sufoca-lo, e a voz de Jezabel pedindo sua cabeça assombrava seus pensamentos, ele se encontra desanimado, abatido e fraco, ao ponto de pedir a morte.

Tais situações que ocorreram com o profeta, estão sujeitas a acontecer conosco também, quantas vezes as situações difíceis, os momentos de desespero, as ameaças e aflições, não nos querem fazer desistir, abandonar, ou até mesmo morrer, existiam outras soluções para o problema enfrentado por Elias, mas sua decisão era sair da morte para a morte, Jezabel jurou a sua morte, e por isso, ele aflito, ora para morrer, é obvio que Deus não ia conceder a morte a ele, pois Deus é o autor da vida (Gn 2:7) Deus não o respondeu de acordo com a seu pedido, e com carinho de um Pai, o alimentou e o manteve vivo, para que jamais morresse, antes, fosse transladado. Assim Deus esta pronto a nos alimentar com sua Palavra (Jr 15:16) e nos responder, não com aquilo que queremos, pois muitas vezes pedimos coisas tolas e inúteis (Tg 4:3) e sim, falar ao ponto de suprir todas as nossas necessidades, nos abastecendo com fé (Rm 10:17) para caminharmos com Ele.

Por Guilherme Santos
Mensagem original aqui.