ENCONTRO COM DEUS

Temos observado o surgimento de várias religiões e seitas em todo o mundo. Algumas delas baseadas em doutrinas do puro absurdo. Também observamos a deflagração de alguns seguimentos religiosos mantendo muitas vezes a base doutrinária. Porém, partindo para um extremismo assustador.
O mundo fala em religião, o mundo respira religião, principalmente neste início de milênio em que algumas delas, ainda, esperam um grande cataclismo. Muitas vezes o homem tem se perguntado o porque das muitas religiões, sabendo que dentro de todo o ser humano existe uma necessidade de encontrar algo supremo que preencha o seu interior. É a velha história do homem em busca da sua origem para entender a razão de sua existência, daí o porque das religiões. Até mesmo por razões científicas, têm surgido inúmeras ramificações religiosas. Tudo isso em decorrência da ansiedade do homem em encontrar paz interior, algo mais para preencher o vazio do seu ser.
O termo religião vem do latim “religare”, e quer dizer religação, ou seja, tornar a ligar o homem à Deus. Aceitamos o termo religião neste sentido por ser este o mais exato, e não sentido genérico que dá idéia de uma balbúrdia, uma miscelânea de concepções, que, ao invés de esclarecer, acaba por confundir ainda mais.
Encontramos na Bíblia Sagrada o sentido exato desta religião. Com o pecado de Adão, houve uma separação entre o homem e Deus, ou seja, espiritualmente o homem morreu para o Criador (Gn. 3:1-24). Esta morte não foi por vontade de Deus, pois “Ele’ criou o homem para que este vivesse bem. Sempre foi o desejo de Deus desde o início que a humanidade gozasse do melhor da vida. O pecado destitui o homem da glória de Deus (Rm. 3: 23), levando-o a mergulhar num oceano de idolatria e desgraça (Rm. 1:18- 32). Porém Deus, por amar ao mundo, idealizou um plano divino parasalvação da humanidade. Este plano constituiu em enviar seu próprio filho para morrer em favor do homem, diz a palavra de Deus: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (Jo. 3:16).
O Senhor Jesus, filho de Deus, veio ao mundo para dar exemplo de vida como homem santo e para morrer no lugar de todos os homens. Na cruz do calvário, “Ele” doou-nos a sua vida, morrendo nossa morte e ao terceiro dia Jesus ressuscitou em glória._Aleluia!
É o Senhor Jesus o elo de ligação entre o homem e Deus, “Ele” veio religar o pecador condenado a um triste salário, a morte, ao Deus criador (Rm. 6:23).
Concluímos então que religião, ou seja, “Ele” é o único mediador entre Deus e os homens (I Tm 2:5). É o caminho que nos leva a Deus. Só Jesus nos leva a um verdadeiro encontro com Deus, um encontro de vida, paz, transformação e alegria. Ele disse: “... Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por Mim,” (Jo. 14:6). Preste atenção Ele não disse eu sou um caminho, e sim, eu sou o caminho. Para viver feliz aqui na terra e herdar a vida eterna é necessário haver um encontro com Deus através do Senhor Jesus. Quem aceita já Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador, torna-se também filho de Deus (Jo. 1:12), passando a ser um herdeiro do Pai Celestial.

As religiões podem proporcionar ao homem uma linda liturgia, grandes e pomposas cerimônias, palavras bonitas e até mesmo um bonito funeral, mas só Jesus Cristo pode proporcionar vida e vida em abundância. Vida eterna e descanso para a alma.

PASTORA ANA MARIA DA COSTA SILVA